Conheça os 4 pontos que definem uma boa higienização hospitalar – Indeba
Indeba

notícia

Conheça os 4 pontos que definem uma boa higienização hospitalar

terça-feira, 3 de março de 2020 >> Postado por Dilson Barros

O sucesso de um hospital não se faz somente com boas equipes médicas e equipamentos de última geração. 

Você sabe o que mais pode fazer a diferença? Um bom trabalho de higienização diária. 

A rotina de limpeza e a higienização realizada com excelência em hospitais são fundamentais, uma vez que a disseminação de microrganismos pode colocar em risco indivíduos que frequentam aquele ambiente. 

Dada a importância do tema, no texto de hoje falaremos sobre a importância de uma boa higienização hospitalar e as suas melhores práticas. Acompanhe!

A importância de uma boa higienização hospitalar

Um ponto fundamental para uma boa higienização hospitalar é estabelecer rotinas e padrões rigorosos de limpeza, que devem ser pensados e seguidos à risca. 

É imprescindível ter rotinas de limpezas pré-estabelecidas, isso ajudará na prevenção de contaminação cruzada entre os pacientes internados.

Um ambiente limpo e desinfetado ajuda a reduzir em cerca de 99% o número de microrganismos potencialmente perigosos.

Ciente disso, todos os procedimentos precisam ser compreendidos, para que possam ser aplicados de forma correta em cada situação. 

Como deve ser feita a higienização hospitalar

Ao realizar o processo de limpeza e desinfecção dos ambientes , é importante seguir uma série de processos:

Higiene ambiental

Uma das fontes mais comuns de transmissão de infecção são as superfícies ambientais. 

Certos tipos de bactérias são capazes de sobreviver em superfícies ambientais por meses. Portanto, é importante manter as superfícies limpas e desinfetadas.

Superfícies de alto toque, como maçanetas, torneiras e interruptores de luz, requerem limpeza e desinfecção mais frequentes, comparadas a superfícies mínimas de contato. 

Use a regra: das áreas limpas para as sujas!

Um dos maiores erros na execução da limpeza é partir de locais mais sujos, geralmente o banheiro, para partes mais limpas da instalação. 

Fazendo dessa forma, uma vez que são compartilhados nos diferentes ambientes os mesmos equipamentos, há muitas chances de espalhar pelos ambientes limpos microrganismos causadores de doenças os quais antes se limitavam à área mais suja, como um banheiro (por exemplo).  

A limpeza hospitalar, portanto, deve progredir dos quartos ​​para os banheiros, da superfície mais alta para a mais baixa, do fundo para a frente em direção a porta, do mais limpo para o mais sujo.

Descarte com segurança os materiais contaminados 

Saber como e onde descartar materiais, resíduos e soluções deve ser considerado tão importante quanto o sistema de limpeza. 

Limpeza mecanizada de piso

Esse tipo de limpeza é realizada em ambientes com sujidades mais pesada. Para esse procedimento são utilizadas enceradeiras ou lavadoras automáticas.

Em lavadoras automáticas, coloca-se a solução no equipamento, em seguida, esfrega-se o piso e remove-se a água automaticamente.

Lembre-se: o uso de Equipamento de Proteção Individual (EPI) deve ser apropriado para a atividade a ser exercida.

Agora vamos às dicas para uma higienização hospitalar eficiente 

Para que todos os processos e etapas sejam realizados com sucesso, boas práticas podem ajudar. 

Veja algumas delas:

  • Comece das áreas menos sujas para as mais sujas e das mais altas para as mais baixas;
  • Superfícies Críticas devem ser limpas com um desinfetante.
  • As paredes, janelas e portas devem ser limpas regularmente, mesmo que não estejam visivelmente sujas;
  • Atenção especial deve ser prestada à unidade do paciente, que deve ser limpa com cuidado;
  • Os banheiros devem ser higienizados pelo menos uma vez por dia, para eliminar os fungos nas junções de azulejos e, repassado durante o dia conforme necessidade.
  • Toda a limpeza deve ser feita com movimentos unilaterais, de cima para baixo.

Uma rotina de limpeza em ambientes tão delicados impede a transmissão de infecções; por isso, é essencial ter equipamento adequado e pessoal treinado, com diretrizes claras e abrangentes a seguir.

Validação da limpeza — Marcador fluorescente

Uma infinidade de microrganismos, quase imperceptíveis, podem estar presentes no ambiente hospitalar. 

Assim, é preciso garantir que não haja qualquer tipo de contaminação capaz de infectar pacientes, entre outros. 

Por essa razão, existe a validação da limpeza, à qual os hospitais devem utilizar como ferramenta para garantir a eficiência do processo de higienização.

Conte com a Indeba

A Indeba entende a importância de zelar vidas; por isso, coloca à disposição dos hospitais soluções alinhadas com seus valores e expectativas, um exemplo disso é o Letah Lumi.

O Letah Lumi é um marcador fluorescente utilizado como uma importante ferramenta para validação da limpeza. 

Como funciona….

Após aplicação e secagem do Letah Lumi na superfície, o líquido se torna visível apenas sob luz negra e tem como objetivos:

  • Avaliar a técnica e a eficácia da limpeza de superfícies em limpezas terminais dos ambientes hospitalares;
  • Identificar melhorias no processo de higienização;
  • Designar treinamentos específicos para melhorar os indicadores de qualidade;
  • Realizar validação por amostragem.

O investimento em segurança no ambiente hospitalar garante maior segurança para profissionais e pacientes durante a internação e reflete uma prática comprometida com a qualidade, por parte do hospital.

Se você quiser saber mais sobre produto Letah Lumiclique aqui.

Referências:

http://blog.morhena.com.br/higienizacao-hospitalar-entenda-a-importancia-para-nao-correr-riscos/

https://vivante.com.br/blog/higienizacao-hospitalar